Sistema respiratório – Você cuida do seu?

A proteção do sistema respiratório é um assunto que ocupa a todos e que no entanto na maior parte do tempo passa despercebido porque a respiração é um ato mecânico, só reparamos nisto quando ocorre algum tipo de inconveniente. Agora, considerando que este sistema é responsável por receber o oxigênio que é necessário para viver, os conselhos para o cuidado do sistema respiratório são muito mais relevantes, eles são essenciais para manter um bom estado de saúde.

Vamos falar então de uma série de diretrizes simples que podem ser implementadas na vida cotidiana para se tornarem hábitos, a ideia é começar aos poucos para que o corpo possa eventualmente filtrar melhor e melhor todas as toxinas que prejudicam seu bem-estar.

Consejos-para-el-cuidado-del-sistema-respiratorio

Cuidados básicos para o sistema respiratório

Higiene pessoal adequada:
Como bactérias e vírus estão por toda parte, algo tão simples como lavar as mãos pode fazer uma grande diferença. Aqui também está incluída a limpeza correta dos elementos de uso diário, das instalações domésticas e das roupas.


Exercício:

Movimentos aeróbicos como a yoga têm a virtude de aumentar consistentemente a capacidade pulmonar, mas há técnicas de respiração que promovem maior qualidade de vida e protegem o sistema respiratório. Ao respirar de forma errada, não conseguimos renovar a carga de oxigênio adequada para alimentar devidamente as células e, assim, eliminamos pouco o gás carbônico, deixando o organismo intoxicado. A escritora Sônia Hirsch, autora de diversos livros sobre promoção da saúde indica três aspectos para respirarmos bem: ritmo, profundidade e duração.

– Respirações lentas, profundas e longas: Geram harmonia em todas as funções do corpo trazendo maior satisfação e sensação de bem-estar. Através dessas respirações aumenta-se a quantidade de oxigênio, liberando toxinas do gás carbônico. Além disso, equilibram o ritmo biológico e a temperatura do corpo, ajudando a desenvolver uma percepção mais ampla, aprofundada e de autoconhecimento corporal.

– Respirações curtas, rápidas e superficiais: Geram carências no organismo, por não suprirem as necessidades de oxigênio, que podem resultar em diversos problemas e doenças. Respirações dispersivas e em ritmos irregulares não mantêm um equilíbrio biológico e temperatura corporal, trazendo, sobretudo, sensações de irritabilidade, impaciência e mau humor.

1410137.large


Alimentos adequados:

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, as pessoas são mais afetadas por problemas respiratórios quando suas dietas são deficientes em determinados nutrientes. Esse nível aumenta entre os adolescentes, pelo baixo consumo de vitaminas C e E, além de ácidos graxos ômega-3, apresentados nessa faixa etária. Os jovens analisados no estudo apresentaram função pulmonar pior e referiram a maior incidência de problemas respiratórios como tosse e coriza.

Os pesquisadores destacaram o poder das frutas nas ações respiratórias, principalmente as ricas em vitamina C – também associada a pulmões saudáveis –, bem como em flavonoides, os antioxidantes – muito encontrados nas frutas cítricas – que inibem a produção de radicais livres. Os radicais livres são átomos instáveis gerados tanto pelo metabolismo como por fatores ambientais, tais como o fumo e a poluição, e que afetam as células, tornando o indivíduo mais suscetível a doenças e ao envelhecimento.

“A associação das frutas à função pulmonar e aos sintomas respiratórios pode ser o resultado de um efeito protetor dos flavonoides e da vitamina C nas vias aéreas e no epitélio alveolar. Os baixos níveis de vitamina E e ômega-3 estiveram associados a uma incidência mais elevada de asma. (…) Temos de fato um problema com os adolescentes que não consomem as quantidades recomendadas de alimentos e micronutrientes. (…) Uma dieta deficiente definitivamente interfere nos sintomas da asma”, diz alguns trechos da pesquisa.

Frutas cítricas: Goiaba, laranja, acerola, tangerina… Todas as frutas ricas em vitamina C turbinam a imunidade e previnem gripe, resfriado e infecção das vias respiratórias. Coma ao menos uma por dia.

Linhaça: Atua como emoliente sobre as mucosas, aliviando sintomas de problemas respiratórios. Uma colher de sopa por dia, de preferência da semente triturada, é suficiente para blindar a saúde.

Gengibre: O gingerol, composto que dá o sabor picante à raiz, é antioxidante e anti-inflamatório. Para consumir na forma de chá basta ferver algumas fatias por uns minutinhos.

Alho: A aliina e a alisina presentes no alimento combatem infecções por bactérias, fungos e vírus. O ideal é consumir o alho cru, mas não é fácil: tente picadinho num molho de salada à base de iogurte.

Fonte: TAEQ