Pacientes aprovam Auriculoterapia no combate à ansiedade em MG

Tratamento não tem contraindicações, diz médico do Centro-Oeste de MG.
Técnica estimula pontos do sistema nervoso na orelha.

A Auriculoterapia cativou pacientes de cidades do Centro-Oeste de Minas Gerais. A técnica retirada da medicina tradicional chinesa foi desenvolvida como complemento da acupuntura para promover bem-estar e melhorias na qualidade de vida.

De acordo com o clínico geral Flávio Antônio Marcelino Alves, que realiza o procedimento há alguns anos, estudos comprovam que a técnica atinge 92 pontos do sistema nervoso na orelha, cada um com uma função específica. Ele explicou que os pontos podem ser estimulados por pequenas esferas ou sementes. As mais usadas por ele são as de mostarda.

De acordo com o médico, o tratamento não tem contraindicações e é usado para combater doenças. “O tratamento é usado principalmente para controle da ansiedade. Ele é usado também no tratamento da obesidade, dores de cabeça, dor de coluna e qualquer outro tipo de dor. Qualquer pessoa pode fazer”, explicou.

Com a técnica, podem ser tratadas cerca de 200 doenças, sejam elas funcionais, neurais, ou psicológicas. Os casos mais comuns mais comuns são dores de cabeça localizadas ou difusas em qualquer parte da cabeça, perda de interesse ou falta de atenção e em dores corporais.

O morador de Nova Serrana, Vagner Henrique, de 22 anos, faz o tratamento há alguns meses. Ele disse que foi uma sugestão de amigos, depois de notarem que ele estava estressado.

“Como eu ando com a carga horária de trabalho muito grande e faço acompanhamento com a nutricionista, que me ajudou a perder quatro quilos dentro de três meses, ela me passou os benefícios do tratamento. Com ele eu estou ficando tranquilo e não estou ficando mais nervoso. Melhorou minha ansiedade em 60%”, afirmou.

 

Há oito meses, Túlio Flora, de 19 anos, que mora em Carmo do Cajuru, procurou ajuda profissional para acabar com a ansiedade e o stress acumulados no dia a dia. Os resultados chegaram depois de algumas sessões. “Eu andava muito estressado na época e mudou muito. A ansiedade demorou mais para ser controlada”, contou.

Fonte: G1

Deixe uma resposta